12 dicas básicas para evitar uma intoxicação alimentar por Dr. Eduardo Grecco

Saúde

A ingestão de água ou alimentos contaminados pode levar ao que chamamos de “intoxicação alimentar”. Essa contaminação pode ocorrer devido ao contato com bactérias, vírus (transmitido quando a higiene é precária) e até substâncias tóxicas presentes em algumas plantas e legumes. As bactérias citadas podem ser a Shiguella e a Salmonella, presentes em ovos, leite e carne crua, a E.coli, que habita o intestino humano, a Staphyloccus, que tem contaminação através da pele e ainda a Clostridium, que está presente na toxina botulínica de algumas embalagens de alimentos em conserva.

A contaminação dos alimentos ocorre quando uma pessoa infectada com um vírus entra em contato com o produto, ou quando ele entra em contato com algo contaminado. Por exemplo: você usou uma tábua de corte para fatiar um pedaço de carne crua, e logo depois a usou para cortar legumes, sem higienizá-la. Se esta carne estiver contaminada, você pode transmitir a contaminação para os outros alimentos também.

Os pacientes com intoxicação apresentam um quadro de desidratação, marcado por dores abdominais similares à cólica, disenterias, náuseas, vômitos e febre. O diagnóstico é feito a partir de exame de fezes e o tratamento em casos leves é hidratação e repouso; em casos graves, o médico pode receitar antibióticos.

 

VEJA TAMBÉM: Infecções alimentares na praia: como evitar e quais os perigos com Dra. Raquel Muarrek

 

Uma das grandes agravantes dos casos de intoxicação alimentar é a falta de saneamento básico. Segue algumas recomendações para driblar a intoxicação:

1 -  Mantenha bons hábitos de higiene, lavando as mãos sempre, principalmente antes das refeições.

2 – O álcool em gel também é um bom aliado na higienização das mãos.

3 –  Lave bem os alimentos e conserve-os em locais arejados e limpos.

4 -  Os utensílios de cozinha devem estar sempre limpos.

5 –  Não consuma alimentos com aparência ruim, principalmente ovos, carne crua e legumes.

6 -  O leite deve ser fervido ou pasteurizado.

7 -  Todas as verduras devem ser higienizadas com água e, se possível, algumas gotinhas de hipoclorito.

8 –  Evite alimentos em conserva com embalagens amassadas ou danificadas.

9 –  A água é nossa melhor amiga. Beba de oito a dez copos por dia.

10 –  Tenha uma alimentação balanceada, alimentando-se a cada três horas.

11 –  Procure descansar e relaxar, o estresse pode desencadear uma série de problemas.

12 -  Os médicos estão aí para ajudar, portanto procure orientação de um especialista sempre que necessário.

A intoxicação alimentar pode ser leve e sumir em alguns dias, que é o tempo do corpo humano “expulsar” o agente contaminador. Se os sintomas persistirem ou piorarem, é necessário buscar ajuda médica.

 

 Eduardo Grecco é gastrocirurgião e endoscopista do Instituto Endovitta.
Contato
Site: http://www.institutoendovitta.com.br